O FBI recebeu não um, mas dois alertas sobre Nikolas Cruz, o jovem que matou 17 pessoas num liceu da Flórida, e nada fez. Depois de ter sido divulgado na quinta-feira que os agentes tinham recebido um aviso relativo a um comentário no Youtube, sabe-se agora que um segundo alerta chegou às autoridades quatro meses depois. 

Foi a 5 de janeiro que o FBI recebeu esta segunda “dica”. Uma pessoa próxima de Nikolas Cruz alertou as autoridades para o comportamento do estudante que causou o terror na quarta-feira no liceu de Parkland.

Isto mesmo foi confirmado pelo FBI num comunicado divulgado esta sexta-feira. Nesse comunicado, a força policial especifica que as informações transmitidas às autoridades davam conta das "armas" de Cruz, do seu "comportamento errático", do seu desejo de matar pessoas e das suas publicações perturbadoras nas redes sociais. O informador receava que o jovem pudesse atacar uma escola – o que veio, efetivamente, a acontecer.

O FBI admitiu que essas informações deveriam ter sido consideradas como uma “potencial ameaça”, confirmando que, na verdade, o que aconteceu foi muito diferente: as "dicas" ficaram na gaveta, pois não foram partilhadas com o departamento de Miami, e não foi conduzida qualquer investigação.

 A informação não foi partilhada com a divisão de Miami e não foi conduzida nenhuma investigação”, reconheceu o FBI no comunicado.

O diretor do FBI, Christopher Wray, garantiu que o organismo está a investigar o que aconteceu para que os protocolos não tenham sido seguidos. 

Este comunicado vem colocar o FBI debaixo de fogo e questionar se esta força policial poderia ter evitado o massacre no liceu de Parkland.

É que, na quinta-feira, já tinha sido divulgado que o FBI recebeu um aviso um comentário no Youtube deixado por um utilizador com o mesmo nome do atirador. “Vou ser um atirador profissional em escolas”, foi a mensagem deixada pelo utilizador "nikolas cruz" no canal do Youtube de Ben Bennight. Quando viu o comentário, Bennighton contactou de imediado os agentes e a publicação foi retirada.