O regulador norte-americano para a aviação ordenou que um dos motores dos aviões Boeing 787 seja reparado com “urgência”. Em causa estão as suspeitas de que este engenho se possa desligar em pleno voo.

A agência de aviação dos Estados Unidos (FAA) informou esta sexta-feira que a ordem aplica-se ao motor direito, que é mais recente do que o esquerdo.

A decisão foi tomada após um relatório sobre o incidente que envolveu um aparelho 787 da Japan Airlines. Um dos motores do avião, que fazia a ligação entre Vancouver e Toquio, a 29 de janeiro, parou quando o boeing estava a mais de 6.000 metros acima do nível do mar. Os pilotos conseguiram aterrar o aparelho com segurança

A medida da FAA aplica-se apenas nos Estados Unidos, abrangendo 43 aviões. Mas, a nível mundial, há 176 aparelhos Boeing 787 que pertencem a 29 companhias aéreas.