A Agência Europeia para a Segurança na Aviação informou esta terça-feira que vai investigar «uma série de quase colisões» entre aviões militares russos e aviões comerciais nos últimos meses, a pedido da Comissão Europeia.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a EASA - European Aviation Safety Agency, diz ter recebido um pedido da Comissão Europeia para investigar uma «série de quase colisões entre aviões de passageiros europeus e aeronaves militares», verificadas em espaço aéreo europeu.

Questionado pela Lusa, o regulador europeu do setor referiu que os incidentes envolvendo aviões militares da Rússia, ocorridos ao longo dos últimos meses «estão abrangidos» por esta investigação.

Recorde-se que a semana passada a NATO solicitou à Rússia «maior transparência e previsibilidade» na sua atividade aérea nas fronteiras dos países aliados, como Portugal.

Há pouco mais de um mês, caças F-16 da Força Aérea Portuguesa foram obrigados a intercetar aviões militares russos, que sobrevoavam espaço aéreo internacional sob jurisdição portuguesa. 

Também na semana passada, as forças armadas norueguesas divulgaram um vídeo que mostra um jato russo a apenas 20 metros de um F-16 norueguês, uma curta distância que quase causou a colisão entre os dois aviões.