Os filhos de um passageiro do voo MH370 da Malaysia Airlines apresentaram esta sexta-feira uma queixa contra a companhia e vários departamentos governamentais da Malásia pelo desaparecimento do avião a 08 de março, revelou a imprensa local.

 

Os dois filhos, de 11 e 13 anos, interpuseram a ação através da mãe, Ng Pearl Ming, por considerarem que o bilhete do seu pai, Jee Jing Hang, de 41 anos, incluía um acordo de viagem em segurança desde Kuala Lumpur até Pequim, sublinha o diário «The Star».

A queixa, apresentada no Supremo Tribunal de Kuala Lumpur, argumenta que a Malaysia Airlines, violou o «acordo de voo» ao não chegar à hora acordada ao seu destino e falhou na tomada de medidas para garantir a segurança do voo.