A queda do avião malaio com 298 pessoas, numa zona de conflito armado na Ucrânia, mostra a necessidade de encontrar uma solução com urgência para a crise naquele país, defendeu esta sexta-feira o Presidente russo Vladimir Putin.

Qualificando o acidente como «uma tragédia», Putin sublinhou ter ficado demonstrada a «necessidade de uma solução urgente e pacífica para a crise com a Ucrânia».

A posição do Presidente russo foi tomada numa conversa telefónica com o primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, informou o Kremlin em comunicado.

Das 298 vítimas do acidente com o avião malaio, 154 eram holandesas.

Na mesma conversa, Putin defendeu também ser preciso fazer «uma investigação minuciosa e objetiva ao desastre».

A primeira reação da Rússia ao acidente foi considerada pelo primeiro-ministro australiano como «muito, muito insatisfatória».

De acordo com Tony Abbot, a primeira coisa que o embaixador russo na Austrália fez foi «culpar a Ucrânia», afirmando que «não se tratou de um acidente, mas sim de um crime».

A queda do Boeing 777 na quinta-feira causou a morte das 298 pessoas que iam a bordo, das quais 28 eram australianas.

Obama também falou com o PM holandês

O presidente norte-americano apelou a uma «rápida» e «livre» investigação ao derrube do avião. Numa conversa telefónica com o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, o líder da Casa Branca lamentou o desastre e manifestou disponibilidade imediata dos Estados Unidos em «apoiar» uma investigação internacional ao caso.

Anteriormente, Barack Obama já tinha dito ao seu homólogo ucraniano - Petro Poroshenko - que nenhuma evidência do desastre deveria ser retirada antes de uma equipa internacional de investigadores poder deslocar-se ao local para investigar o caso.

Os Estados Unidos já disseram que o avião da Malaysia Airlines foi abatido com um míssil terra-ar, mas até agora não é claro quem e a partir de que local efetuou o disparo.

Entretanto, o primeiro-ministro britânico convocou para esta sexta-feira uma reunião do Governo para discutir a crise causada pela queda do avião malaio no leste da Ucrânia.

Pelo menos nove britânicos iam a bordo do avião.

«Estou chocado e triste com a queda do avião da Malásia», afirmou David Cameron na quinta-feira, através do Twitter.