Um grupo de 19 famílias chinesas assinou um documento a confirmar que os telemóveis dos seus familiares dão sinal de chamada, quatro dias após o misterioso desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines, avançam alguns jornais chineses e o jornal britânico «The Mirror». O mistério em torno deste caso parece não ter fim e as famílias agarram-se aos factos que lhes dão esperança.

Segundo o «The Mirror», a própria companhia aérea, a Malaysia Airlines, tentou ligar para os aparelhos móveis da tripulação e também ouviu sinal de chamada em alguns casos. O toque de chamada dura poucos segundos e, depois, a ligação cai sem resposta. É como se a chamada fosse feita, mas ninguém atendesse.

Tão estranho como as chamadas telefónicas, é o facto de alguns passageiros surgirem «online» nas redes sociais. Um homem garantiu aos jornalistas que, por exemplo, o perfil do seu irmão aparece como «online» na QQ, uma rede social chinesa.

Já no domingo, um familiar tinha tentado ligar, em direto na televisão, para o telemóvel de um passageiro e, apesar de se ouvir o toque de chamada, ninguém respondeu.

No entanto, nenhum telefonema ou mensagem na internet obteve resposta.

Em declarações à estação de televisão norte-americana «NBC News», um especialista esclareceu que os telemóveis e a rede podem explicar o sinal de chamada que se ouve. Segundo o analista Jeff Kagan, nem sempre que se ouve um telemóvel a «chamar» significa que o aparelho esteja, de facto, ligado.

Ou seja, é possível que quem liga ouça um sinal de chamada, sem que o aparelho receba qualquer ligação. Basta que a «rede procure o telemóvel» para se ouvir o sinal de chamada e quando não encontra o aparelho «desliga», acrescentou.

O toque de chamada pode acontecer com telemóveis em «modo de avião» ou em aparelhos já destruídos.

Ao fim de quatro dias, não há qualquer sinal do avião. Nem destroços, nem pistas. Nenhuma resposta para o que pode ter acontecido, apesar intensas buscas, apoiadas por dezenas de aviões, navios ou satélites. Nem o mais avançado equipamento está a conseguir ajudar à resolução do mistério.

Esta terça-feira, as autoridades parecem ter descartado a tese de atentado terrorista, mas admitem a possibilidade de «mão criminosa» no incidente.