Alguns passageiros judeus, ultra-ortodoxos, recusaram sentar-se ao lado de mulheres durante um voo que fazia a ligação entre Nova Iorque, Estados Unidos, e Telavive, Israel. O incidente levou ao atraso da descolagem do aparelho e causou alguma instabilidade durante a viagem.

Tudo aconteceu esta quarta-feira, num avião da companhia aérea israelita El Al, onde estavam vários judeus ultra-ortodoxos que viajavam até Israel para celebrar o início do novo ano judeu.

Os passageiros recusaram-se sentar ao pé de mulheres, considerando que indivíduos dos dois sexos deviam estar separados.

«Ficaram nos corredores, recusando avançar», contou um dos passageiros, Amit Ben-Natan ao «Shalom Life».

Ben-Natan explicou que os judeus até ofereceram dinheiro para que a troca de lugares pudesse acontecer.

«Pediram-nos para trocar de lugar com eles e até nos ofereceram dinheiro para isso. Claro que o avião não podia descolar enquanto eles estivessem parados no corredor», afirmou.

Os judeus acabaram por se sentar nos lugares marcados nos bilhetes, mas o caso não ficou por aqui. O passageiro descreveu mesmo a viagem como «11 horas de pesadelo».

Mal o sinal do cinto de segurança ficou verde, os homens saltaram imediatamente dos lugares, provocando alguns distúrbios.

A companhia aérea reagiu, dizendo que «faz tudo para que os passageiros possam ter as melhores condições, num momento em que o tráfego para Israel é muito intenso».