Oito dias após a queda do avião da Germanwings, François Hollande prevê a identificação de todas as 150 vítimas até ao final da semana. Mas previsão do presidente francês, de visita à Alemanha, não bate certo com a da polícia francesa, que prevê dois a quatro meses para concluir o processo.
 
Um prazo ao ritmo da ciência. Os restos humanos são identificados a partir do ADN mas também dos dados dentários e outras informações médicas como próteses ou das impressões digitais equivalentes aos documentos de identificação de 17 nacionalidades. Um quebra-cabeças para os peritos forenses que não revelam nenhuma identificação antes de terminado o processo
 
Até agora foi isolado o ADN de 87 pessoas, cerca de metade das vítimas. A recolha de restos mortais e dos destroços do avião será mais rápida graças à estrada aberta no meio da floresta.
 
Já a Lufthansa, empresa mãe da companhia aérea low cost Germanwings, cancelou as celebrações aniversário, 60 anos, no próximo mês e vai disponibilizar 275 milhões de euros para as indemnizações: cada família poderá receber por vítima dois milhões de euros.