O Egito anunciou hoje ter enviado um submarino para o Mediterrâneo três dias após a queda do avião da EgyptAir para localizar as decisivas “caixas negras” que podem ajudar a esclarecer a tese de acidente ou de atentado.

O presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi pronunciou-se sobre a polémica em curso, para recordar que na atual situação “todas as hipóteses são possíveis” e que nenhuma está a ser privilegiada.

O ministro da Aviação civil referiu-se à tese de atentado no dia da catástrofe, mas de seguida a ausência de uma reivindicação e a emissão de alertas assinalando fumo a bordo e uma falha do sistema de comandos de voo reforçaram a hipótese de um acidente técnico.