A Austrália recordou a memória das 298 vítimas, 38 das quais australianas, do avião da Malaysia Airlines abatido no este da Ucrânia em julho quando ligava Amesterdão a Kuala Lumpur.

Familiares e amigos das vítimas participaram, esta quinta-feira, com as autoridades do país e com os embaixadores da Holanda e da Malásia numa cerimónia na catedral de Saint Patrick em Melbourne.

O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, reiterou a sua determinação em fazer justiça e fazer regressar aos seus países as 298 vítimas do que classificou como «homicídio».

Na cerimónia esteve também o Governador-geral da Austrália, Peter Cosgrove que salientou que a homenagem é uma forma de mostrar o valor da vida e como os australianos se unem para velar os seus.

A cerimónia começou depois do primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, ter anunciado a suspensão das buscas por restos humanos e partes do avião face à deterioração das condições de segurança na zona, onde combatem o exército ucraniano e os separatistas pró-russos.