Os destroços do voo MH17 da Malaysia Airlines, abatido a 17 julho no leste da Ucrânia, estão a partir deste domingo a ser recolhidos sob a supervisão das autoridades holandesas.
 
A recolha está a ser monitorizada pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e deverá prolongar-se por mais dez dias.
 
Apesar de já terem passado quatro meses desde o abte do aparelho, só agora foi conseguido o acesso ao local, há muito reclamado pelos peritos da aviação, uma vez que os destroços são uma parte essencial da investigação que quer apurar os responsáveis pelo desastre que matou 288 pessoas.
 
O material recolhido está a ser enviado para a cidade de Kharkiv, de onde será embarcado para a Holanda.