Última actualização à 01h59 de quinta-feira, 21 de Agosto

Um avião da companhia aérea Spanair incendiou-se com 162 passageiros a bordo, entre os quais 20 crianças e dois bebés, e dez tripulantes, ao tentar levantar voo da pista no aeroporto de Barajas, em Madrid.

De acordo com fontes oficiais, o número de mortos ascende a 153. Foram retiradas com vida 28 pessoas, mas apenas 19 resistiram com vida - uma criança de dois anos morreu a caminho do hospital.

Veja as fotos aqui

Veja os vídeos do acidente

Em declarações à edição electrónica do El Mundo, um dos elementos das equipas de emergência contou o que viu ao chegar junto do aparelho: «Estava tudo cheio de cadáveres carbonizados».

Numa altura em que os cadáveres já começam a ser reconhecidos pelos familiares no pavilhão de Ifema, a Spanair colocou online a lista de passageiros que ia a bordo do avião.

Até ao momento ainda não foi possível apurar com toda a certeza se existem portugueses entre as vítimas. O apelo feito pela secretária de Estado das Comunidades Portuguesas faz um apelo não obteve qualquer resposta: nenhum familiar português contactou autoridades.

O acidente registou-se no Terminal 4 e trata-se do voo JKK5022. De acordo com dados do fabricante, aviões iguais ao da Spanair já fizeram mais de mil vítimas

Segundo o El Mundo, a aeronave ter-se-á partido em dois. As caixas negras já foram recuperadas.

O acidente aconteceu às 14h45 locais (13h45 em Lisboa). O avião já havia tentado levantar voo. Este era um voo partilhado o voo Lufthansa LH 255. A TAP não vendeu bilhetes.

O jornal El Mundo refere que uma das explicações avançadas para o acidente foi o incêndio de um dos motores da aeronave, o que a terá impedido de descolar. Testemunhas consultadas pela Telemadrid disseram ter visto o motor esquerdo a arder. À Cadena Ser, uma testemunha no local relatou também a explosão do motor esquerdo do aparelho.

Atraso de 3 minutos salva casal

No local estiveram várias equipas de emergência e mais de 200 bombeiros, que levaram os feridos para os hospitais da comunidade de Madrid.

Nos últimos dez anos morreram em acidentes aéreos em Espanha 42 duas pessoas. Mas o mais grave aconteceu em 1985, quando 148 pessoas perderam a vida em Bilbao.

O governo de Jose Luis Zapatero decretou três dias de luto e mandou investigar acidente. Políticos portugueses e mundiais enviaram condolências.