Desapareceu um avião Airbus A320-200 da Air Asia Indonesia, uma companhia malaia de baixo custo, com filiais em várias regiões da ásia, entre as quais a Indonésia. O aparelho fazia a ligação entre a Indonésia e Singapura, na última noite, com 162 pessoas a bordo, incluindo 17 crianças. Descolou do Aeroporto Internacional de Juanda, na cidade indonésia de Surabaya. Escapou ao controlo dos radares às 05:35 locais, cerca das 21:35 de Lisboa. 45 minutos depois, perdeu-se o contacto. Deveria aterrar em Singapura às 08:30 (00:30 na capital portuguesa). Não chegou ao destino. O presidente da companhia aérea, que tem raízes portuguesas, confessa no Twitter: «Este é o meu maior pesadelo»

O piloto que operava o voo QZ8501 tinha 6.100 horas de voo. Pediu para «desviar» o plano de voo devido às más condições meteorológicas, segundo informou a companhia aérea no seu Facebook.



A comunicação com o avião foi perdida quando ainda estava sob o Controle de Tráfego Aéreo da Indonésia, acrescentou a Air Asia, que mudou a cor da sua foto de capa naquela rede social para preto.

As buscas foram entretanto suspensas (antes do meio-dia em Lisboa) porque já é noite naquela região do planeta e porque o tempo também não estava favorável. Serão retomadas na segunda-feira, segundo o porta-voz do ministro indonésio dos Transportes.

«Até para o ano, até para sempre...»

Já foi lançada uma operação de busca e resgate, que está sob o comando da Autoridade Nacional de Aviação Civil do país, sendo que o Ministério dos Transportes indonésio indicou que o avião tinha solicitado uma rota pouco comum antes de perder o contacto.

Entretanto, o vídeo que associamos a este artigo mostra o amigo de um dos passageiros a contar que lhe telefonou a avisar que não o ia ver mais: «Até para o ano, até para sempre...», contou aos jornalistas, entre lágrimas, o amigo que ficou em terra.

O avião em causa saiu da fábrica em 2008 e foi alvo da última manutenção de rotina a 16 de novembro, ou seja, há cerca de mês e meio.

Maioria dos passageiros era da Indonésia

Depois de dois comunicados, num terceiro, também feito através do Facebook, a Air Asia relata que estavam a bordo, entre os passageiros, 149 indonésios, três pessoas da Coreia do Sul, uma de Singapura, um cidadão do Reino Unido e outro da Malásia. Mais os tripulantes, seis também da Indonésia e, ainda, um francês:




Foi criada uma linha telefónica para dar informações às famílias, dá ainda conta o mesmo comunicado. 

Este ano de 2014 foi negro e cheio de mistérios para as companhias aéreas da Malásia. A Malasya Airlines perdeu dois aviões este ano. O MH370 desapareceu a 8 de março, numa viagem de Kuala Lumpur para Pequim com 239 passageiros e tripulantes a bordo. A 17 de julho, o MH17 foi abatido sobre a Ucrânia, matando todas as 298 pessoas a bordo. À entrada do segundo semestre deste ano que agora termina, já tinham morrido mais pessoas em desastres de avião do que em 2012 e 2013 juntos.