Um avião da Egyptair, um Airbus A320, com 66 pessoas a bordo, incluindo um português, despenhou-se no Mar Mediterrâneo, na madrugada desta quinta-feira. A informação foi confirmada pelo presidente francês, François Hollande. O avião desapareceu dos radares na madrugada desta quinta-feira, depois de ter partido de Paris, com destino ao Cairo.

Fazemos aqui um resumo daquilo que se sabe até agora e que está confirmado por fontes oficiais.

Viagem

- Um avião da Egyptair com 66 pessoas a bordo despenhou-se no Mar Mediterrâneo esta quinta-feira. A informação foi confirmada pelo Presidente francês, François Hollande.

- O aparelho desapareceu dos radares na madrugada de quinta-feira quando voava sobre o Mar Mediterrâneo, depois de entrar dentro do espaço aéreo egípcio.

- O ministro da Defesa grego, Panos Kammenos, disse que o avião caiu a 22.000 pés depois de virar acentuadamente duas vezes no espaço aéreo egípcio.

- O voo MS804 partiu do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, às 23:09 de quarta-feira, hora local, e devia chegar ao aeroporto internacional do Cairo na madrugada desta quinta-feira.

Pessoas a bordo

- O aparelho desapareceu com 66 pessoas a bordo: 56 passageiros, sete tripulantes e três seguranças;

- Os passageiros a bordo do avião são oriundos dos seguintes países:

  • Egito (30)
  • França (15)
  • Iraque (2)
  • Portugal (1)
  • Reino Unido (1)
  • Bélgica (1)
  • Canadá (1)
  • Argélia (1)
  • Kuwait (1)
  • Arábia Saudita (1)
  • Sudão (1)
  • Chade (1)

O português

- A TVI apurou que o português tem 62 anos e vivia e trabalhava em Joanesburgo. A Secretaria de Estado das Comunidades já confirmou que o homem trabalhava para a Mota-Engil e tinha quatro filhos. A família já foi informada.

O avião

- Trata-se de um Airbus A320, da companhia aérea Egyptair. Segundo informou a Airbus em comunicado, o aparelho tinha 48.000 horas de voo.

- A companhia aérea Egyptai informou que o piloto tinha 6.275 horas de voo, incluindo 2.101 aos comandos de um Airbus 320.

Buscas

- Decorrem buscas no Mar Mediterrâneo, envolvendo as Forças Armadas egípcias e meios de socorro da Grécia.

Nenhuma hipótese descartada

- Quer o governo francês quer o egípcio mantêm todas as hipóteses em aberto quanto às causas deste incidente. Os dois países já garantiram, de resto, que estão a cooperar de forma estreita para apurarem as razões que explicam este desaparecimento.

- Contudo, o ministro para a aviação do Egito afirmou que é mais provável que o avião da Egyptair que caiu, esta quinta-feira, no Mar Mediterrâneo se tenha despenhado por causa de um atentado terrorista do que devido a uma falha técnica.