Oito dos 11 tripulantes do avião militar norte-americano que se despenhou, esta quarta-feira, no Mar das Filipinas foram resgatados ao mar, confirma a Marina dos EUA. Numa mensagem publicada na rede social Twitter, a Marinha norte-americana informa que os militares foram resgatados com vida e que prosseguem as buscas pelos restantes três tripulantes.

Citado pelo canal de televisão Russia Today, o ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, já tinha dito disse esta quarta-feira que oito dos 11 tripulantes tinham sido detetados, mas não se sabia se tinham sido encontrados com vida.

Uma aeronave da Marinha dos Estados Unidos caiu, esta quarta-feira, no Mar das Filipinas com 11 tripulantes a bordo. De acordo com o Ministério da Defesa do Japão, o avião C-2 despenhou-se a 150 quilómetros a noroeste do atol japonês de Okinotoroshima na altura em que participava num exercício naval conjunto entre as forças japonesas e norte-americanas no Pacífico.

Em comunicado citado pelo Russia Today, o comandante da US 7th Fleet (7ª Esquadra da Marinha de Guerra dos EUA) disse que operações de busca e resgate foram acionadas de imediato e envolvem o porta-aviões USS Ronald Reagan.

A operação de resgate dos tripulantes está em curso sendo que a avaliação das condições de saúde dos tripulantes vai ficar a cargo das equipas médicas do USS Ronald Reagan”.

No mesmo comunicado, a Marinha dos EUA disse que avião caiu a sudeste da base naval norte-americana na ilha japonesa Okinawa às 14:45 locais (06:45 em Lisboa) desta quarta-feira. As causas do acidente ainda não foram determinadas, mas o ministro japonês da Defesa disse que o acidente pode ter resultado de problemas no motor do aparelho.

A Marinha dos EUA explicou que os nomes das pessoas a bordo do aparelho só seriam divulgados depois das familiares e parentes próximos terem sido notificados.  

O avião estava a regressar ao porta-aviões Ronald Reagan, que está estacionado no Mar das Filipinas, quando se despenhou.

A 7ª Esquadra dos EUA , com base no Japão, está na região para fazer exercícios militares no quadro do aumento de tensões com a Coreia do Norte. Este mês, pela primeira vez na década, no mar entre o Japão e a Península das Coreias, desfilaram juntos os três porta-aviões da frota , uma demonstração do poderio militar norte-americano.

A Marinha dos Estados Unidos registou este ano dois incidentes no Pacífico e que provocaram a morte a 17 marinheiros o que provocou o afastamento de oito oficiais de alta patente, incluindo o comandante da 7ª Esquadra.