Pelo menos 31 pessoas morreram esta quarta-feira em Taiwan na sequência da queda de um avião da TransAsia Airways e outras 15 ficaram feridas, nove em estado grave. Há ainda 12 desaparecidos, presumivelmente presos na fuselagem do aparelho,  de acordo com a última atualização do jornal «South China Morning Post».

O avião, em que viajavam 58 pessoas, incluindo cinco membros da tripulação, atingiu uma ponte antes de cair num rio Keelung, em Taipei. Segundo o comissário Wu Chun-hong do Departamento de Bombeiros de Taipei, citado pelo jornal «Straits Times», as equipas de resgate estão a ter dificuldades a chegar aos passageiros que estão presos dentro do avião.

Até agora, foi confirmada a morte de 31 pessoas, 14 morreram no local e algumas das outras vítimas faleceram ainda antes de chegarem ao hospital. No teatro das operações estão cerca de mil operacionais, entre bombeiros, paramédicos e polícias.

Ao perder altitude, a aeronave passou muito perto de vários edifícios acabando por passar sobre um viaduto e uma das asas do avião atingiu um táxi. O motorista e uma passageira sofreram apenas ferimentos ligeiros (leia mais aqui). 


Entre os passageiros estavam duas crianças e 31 turistas chineses de Xiamen.

O aparelho, um ATR-72, viajava num pequeno voo doméstico, e partiu do aeroporto de Songshan, em Taipé, pelas 10:52 (02:52 em Lisboa) com destino às ilhas Kinmen, um pequeno arquipélago perto do continente. 




Segundo a imprensa local, o avião perdeu controlo e despenhou-se em apenas três minutos após a descolagem. As caixas negras do avião, já foram encontradas e segundo as primeiras informações o piloto terá pedido socorro e informado que um dos motores tinha perdido a combustão. O aparelho tinha menos de um ano e a última inspeção foi feita a 26 de janeiro, segundo informa o canal de notícias «TVBS».

A queda do avião foi captada em vídeo por uma câmara instalada no tablier de um outro táxi que passava no momento do acidente. As câmaras instaladas nos táxis são habituais, dado o seu preço e dada a utilidade em caso de ocorrência de alguma problema com passageiros. As imagens da queda do avião são impressionantes e estão já nas manchetes dos principais meios de comunicação mundiais, assim como nas redes sociais. 




As equipas de emergência transportaram as vítimas resgatadas para quatro hospitais próximos: O resgate de vítimas decorreu durante todo o dia, tendo já anoitecido em Taiwan. As equipas de resgate, nomeadamente mergulhadores, continuam a procurar sobreviventes, mas grande parte da fuselagem do avião está já na margem do rio. (Pode acompanhar aqui em direto as operações de resgate). Dos destroços recuperados, as autoridades recuperam um corpo. Os responsáveis pelo resgate acreditam que os restantes passageiros desaparecidos estejam presos no fundo do rio nos resto do avião, que tinha capacidade para 70 pessoas. 

 

 
Durante o dia, as equipas de resgate conseguiram retirar vários sobreviventes da fuselagem do avião. Um dos sobreviventes é uma das crianças que viajava no avião e que terá pouco mais de um ano. Um vídeo captado pelos repórteres no local mostra o momento em que o bebé foi resgatado com vida e aparentemente sem ferimentos. No avião viajava ainda uma outra criança com dois anos, acompanhada pelos pais. Os três sobreviveram ao acidente, mas segundo o pai relata à imprensa em Hong Kong, o menino está a lutar pela vida no hospital. 

A imprensa local dá ainda conta de uma outra história de um dos passageiros do fatídico voo, mas com um final trágico. 
Wang Qinghuo era um dos guias turísticos que viajava em trabalho. O jovem tinha casamento marcado para o próximo domingo. Antes de partir deixou uma mensagem de paz e felicidade aos amigos. 

Uma das repórteres no local, Grace Tsoi , que está a efetuar a cobertura para o The Telegraph, falou com um dos mergulhadores que descreveu as más condições no resgate às vítimas.
 
«Ninguém sabe as condições no interior da fuselagem porque a visibilidade da água é demasiado baixa. Nós não conseguimos ver», disse Chen Chia Hao, um mergulhador de 26 anos. «Para dizer a verdade é muito difícil mergulhar porque é bastante perigoso». 


O diretor executivo da companhia aérea TransAsia já reagiu à tragédia, pedindo desculpas, em conferência de imprensa, a todos os que iam a bordo do aparelho.



Este foi o segundo acidente com um avião da companhia no espaço de seis meses. A 24 de julho, um aparelho que também realizava um voo doméstico despenhou-se em Taiwan. Levava 58 pessoas a bordo e só dez sobreviveram, segundo a «CCTV».

A TransAsia Airways é uma companhia aérea fundada em 1951, dedicada a voos domésticos e que proporciona viagens de baixo custo. A sua frota é constituída por duas dezenas de aparelhos, como apurou a «BBC».