Um avião da United Airlines aterrou de emergência para poder expulsar uma menor autista e a sua mãe, noticia a imprensa norte-americana.
 
No voo entre Houston e Portland, o piloto alegou que a jovem de 15 anos fê-lo sentir-se “desconfortável” e, por isso, decidiu aterrar de emergência em Salt Lake City para retirar Donna Beegle e a filha, Juliette Forbes.

 

O incidente, conta a estação local KOIN 6, aconteceu na sequência de um pedido de uma refeição. A mãe, apercebendo-se que a filha não tinha comido a refeição de bordo, e temendo que pudesse ficar exaltada, pediu uma refeição quente a um elemento da tripulação.
 
A comida disponível destinava-se apenas aos passageiros da primeira classe, mas, depois de a mulher explicar que a filha podia reagir mal e até “arranhar alguém”, foi aberta uma exceção.
 
Meia hora depois, o piloto anunciou uma paragem de emergência em Salt Lake City devido à presença de “um passageiro com problemas comportamentais”.
 
Após a aterragem, polícia e paramédicos entraram a bordo para retirar a jovem e a sua mãe, perante a indignação de alguns passageiros.
 
A mulher vai processar a companhia aérea, mas a United Airlines, em comunicado, alega que “a tripulação tomou a melhor decisão possível para a segurança e conforto de todos os passageiros”.