O número de crianças com autismo aumentou 77% nos últimos 12 anos, nos Estados Unidos. Uma em cada 88 crianças tem um distúrbio que afeta a capacidade de comunicação e de estabelecer relações sociais. O aumento é explicado em parte pela deteção mais eficaz da síndrome, mas os especialistas dizem que isso não explica tudo e que para já não têm respostas.

Ao longo dos anos, os investigadores descobriram muitos genes relacionados com o distúrbio que afeta o desenvolvimento normal da inteligência, mas o papel da genética no problema é só parte da equação. Nos Estados Unidos são hoje mais de um milhão as crianças autistas, uma verdadeira epidemia dizem vozes da comunidade científica que tenta encontrar explicações.

É importante diagnosticar o autismo o mais cedo possível para iniciar a terapia adequada. O rastreio deve ser feito a partir do ano e meio de idade, até aos dois anos o mais tardar. E esta é uma regra que deve ser aplicada a todas as crianças, mesmo que não apresentem sinais de autismo, aconselham os especialistas.