Já se sabe o que aconteceu entre o ministro australiano Jamie Briggs, que se demitiu esta terça-feira após admitir um “erro de julgamento profissional”, e a funcionária pública que estava com ele e com outros responsáveis australianos num bar de Hong Kong, no dia 27 de novembro, por ocasião de uma viagem oficial.

De acordo com o portal Adelaide Advertiser, Jamie Briggs terá dito à mulher que esta tinha "olhos penetrantes", pôs o braço em torno dela e, mais tarde, beijou-a no rosto, quando se despediram.

O incidente levou a que Jamie Briggs deixasse agora o posto de ministro para o Urbanismo (Cities and Built Environment) após a mulher levantar dúvidas acerca do seu comportamento durante a saída noturna. 

Em conferência de imprensa, Jamie Briggs não explicou o que aconteceu em concreto no bar, muito frequentado, após um jantar com o seu chefe de gabinete, dizendo apenas que nada de ilegal foi alegado ou tinha ocorrido.

"Nunca foi minha intenção atuar inapropriadamente. Foi um erro de julgamento profissional", afirmou.


Jamie Briggs disse que se tratou de um convívio "informal", mas admitiu que o seu comportamento não correspondeu aos elevados padrões exigidos a um ministro.
 

Dois escândalos, duas demissões


O Executivo australiano está em convulsão com a demissão de Jamie Briggs, mas também com outro ministro que renunciou ao cargo por causa de uma investigação policial.

O primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull revelou entretanto que Mal Brough vai deixar o cargo de ministro de Estado devido a uma averiguação das auteridades.

Mal Brough apresentou a demissão devido à investigação ao papel que desempenhou na queda do ex-presidente do Parlamento, em relação à qual nega qualquer irregularidade.

Mal Brough é acusado de obter, de forma ilegal, cópias do diário de Peter Slipper em 2012, numa altura em que o ex-presidente do Parlamento estava envolvido num caso de assédio sexual, que depois foi abandonado.

O primeiro-ministro Malcolm Turnbull emitiu uma declaração dizendo que Brough “fez a coisa certa" ao retirar-se enquanto a polícia investiga as alegações.