Um crocodilo enorme, considerado um dos maiores já vistos em Queensland, foi encontrado morto e os especialistas temem que a sua morte possa levar a uma luta pelo poder entre os outros crocodilos, enquanto escolhem o novo “líder”.

A polícia e os agentes ambientais estão a investigar o assassinato do animal, com 5,2 metros, que foi encontrado morto com um tiro na cabeça, no rio Fitzroy, em Rockhampton, no estado de Queensland, na Austrália, na quinta-feira.

O crocodilo foi levado para a quinta de crocodilos “Koorana”, situada nas proximidades, onde será enterrado, depois de ser feita a autópsia.

John Leaver, proprietário da quinta, disse que não era apanhado um crocodilo com cinco metros, em Queensland, há 20 ou 30 anos.  

Podem ter morrido outros crocodilos em sítios selvagens de que nós não tivemos conhecimento, mas, de todos os que eu vi nas últimas três décadas, este é o maior”, explicou, segundo o The Guardian.

Contudo, John Leaver acrescentou que, no século passado, não era incomum encontrar répteis deste tamanho em Queensland. Na altura, antes de ser declarado ilegal, os habitantes locais costumavam matar crocodilos com quatro metros ou mais.

As autoridades acreditam que o crocodilo pode ter estado morto por alguns dias, até uma pessoa ter visto o corpo do animal a flutuar no rio e ter alertado os responsáveis.

A bala causou um grande buraco no crânio do réptil, o que leva John Leaver a afirmar que o tiro veio de uma “caçadeira de calibre bastante grande”.

Eu diria que alguém se sentiu muito ameaçado”, respondeu o especialista, quando questionado sobre qual o motivo para alguém ter baleado o crocodilo.

Com a morte do “líder”, os crocodilos mais jovens vão agora iniciar uma luta pelo poder para decidir quem fica a comandar.

Michael Joyce, diretor do departamento do Ambiente e da Proteção da Herança de Queensland, alertou para o facto de os restantes animais poderem agir de maneira diferente e tornarem-se mais hostis, até estabelecerem quem vai governar a seguir.

Não vão ficar necessariamente mais agressivos com estranhos, mas esperamos que as pessoas sejam inteligentes, no que toca a crocodilos, num país de crocodilos, e que sejam mais vigilantes”, recomendou, de acordo com o The Guardian.

O especialista afirmou que as autoridades ambientais vão monitorizar o rio para ver o que acontece e para tentarem descobrir quem é eleito o novo “líder”.

Isto tudo pode acabar em 24 horas, mas pode também demorar meses até vermos uma movimentação na população de répteis”, explicou Michael Joyce.

O crocodilo de água salgada que morreu tinha entre 80 e 100 anos de idade. O maior do mundo mede 5,48 metros e vive num cativeiro, no norte da Austrália.