Um grupo de quatro homens e um rapaz foram detidos por suspeitas de estarem relacionados com o grupo que violou uma rapariga de 16 anos numa festa em Sidney no início do ano, noticia o Sydney Morning Herald que cita fonte da polícia de New South Wales.

No entanto, a violação só foi descoberta pela polícia quando teve acesso a uma câmara GoPro, apreendida numa operação anti-grafíti, uma vez que não foi apresentada nenhuma queixa às autoridades.

A festa aconteceu em maio, em St. Clair, em Western Sydney, e no vídeo é possível ver oito homens no quarto onde a jovem foi violada. 

Esta quarta-feira, a polícia deteve quatro homens com idades entre os 22 e os 25 anos e um rapaz de 17 anos que foram acusados de “violação sexual agravada em grupo” e de “gravação de uma pessoas envolvida num ato privado”. O jovem foi ainda acusado de resistência às autoridades durante a detenção e um dos outros suspeitos foi apenas acusado de “ocultação de crime grave”.

Segundo as autoridades, a jovem não apresentou queixa às autoridades por não se lembrar do que aconteceu naquela noite uma vez que estava inconsciente. A polícia acredita que a rapariga deverá ter ingerido bebidas adulterada com drogas.

“Há um jovem envolvido, mas são predominantemente homens com cerca de 20 anos e estão a filmar o que parece ser uma rapariga muito jovem. E é uma rapariga muito frágil e são homens muito fortes, alguns casados e com filhos. Ficou claro para os investigadores quando viram as imagens de que a rapariga estava inconsciente ou semiconsciente durante os abusos”, afirmou Peter Yeomans, detetive-chefe e inspetor do batalhão de Abusos a Crianças, acrescentando que “houve várias razões porque ela não apresentou a violação: a falha de memória e o medo de represálias”.

A vítima está agora a ser acompanhada por psicólogos.