A fotografia de um deputado na Austrália a apontar uma arma gerou uma onda de contestação nas redes sociais. Na mesma semana em que várias pessoas morreram na Florida, nos EUApelas mãos de um atirador, o australiano George Christensen foi criticado pela partilha da imagem e da legenda, que incendiou os ânimos dos partidos de oposição.

O deputado do governo da Austrália partilhou, no sábado, através do Facebook, uma fotografia sua a segurar uma arma. A imagem veio ainda acompanhada de uma legenda, aparentemente direcionada aos partidos de oposição.

Têm de se perguntar a vocês mesmos, sentem-se com sorte, seus rufiões Verdes?”

Perante a chuva de críticas que rapidamente começou a surgir, a legenda foi alterada para Têm que se perguntar a vocês mesmos, têm sentido de humor, seus rufiões Verdes? Obviamente que não”.

No domingo, a fotografia foi apagada.

Não ficou claro se a legenda escolhida por George Christensen se destinava exclusivamente aos Verdes e aos ativistas, que estão a fazer campanha contra uma proposta de minério de carvão, apoiada pelo deputado.

Várias foram as personalidades da política que o acusaram de incitar à violência, numa semana marcada pelo atentado a uma escola secundária na Florida, nos Estados Unidos da América, que fez 17 vítimas mortais.

De acordo com a BBC, o partido australiano Os Verdes considerou a postura “vergonhosa”. Pelo contrário, George Christensen justifica-a como sendo uma brincadeira inofensiva.

Se fazer uma piada nas redes sociais é algo errado, então muitas pessoas vão ter problemas”, declarou esta segunda-feira o deputado à estação de televisão britânica.

Christensen afirma que se tratava de uma referência ao filme de Clint Eastwood, A Fúria da Razão, de 1971, onde a personagem interpretada por Eastwood diz: “Sinto-me com sorte? Bem, tu sentes-te, rufião?”.

Também o primeiro-ministro do país, Malcom Turnbull, apelidou a atitude de “muito inadequada”.

Por sua vez, a deputada de Os Verdes, Sarah Hanson-Young, assegurou que, na sequência da publicação, recebeu mensagens de ódio e ameaças de morte.

A Polícia federal australiana disse, esta segunda-feira, estar a investigar o deputado do Partido Nacional da Austrália. Um porta-voz da polícia federal confirmou à agência Reuters que o caso "está a ser tratado".

Esta não é a primeira vez que George Christensen é alvo de polémica e duras críticas. A controvérsia em torno do político começou quando ele pediu que a Austrália proibisse a utilização da burca e que permitisse a aplicação de castigos corporais aos toxicodependentes.