A Austrália vai canalizar uma verba de 17,5 milhões de dólares (13 milhões de euros) para a contratação de pessoal para combater o Ébola na Serra Leoa, mas não vai enviar profissionais de saúde australianos para o país africano, anunciou hoje o primeiro-ministro, Tony Abbott.

«Antecipamos que sejam precisas 240 pessoas para fazer o trabalho», disse, indicando que a equipa vai ser formada por pessoal local e por «alguns estrangeiros, sendo possível que uns quantos sejam australianos».

O primeiro-ministro anunciou um acordo com a empresa australiana Aspen Medical para o envio de pessoal nos próximos dias para um hospital, com cerca de uma centena de camas, construído pelo Reino Unido, país que se comprometeu a ajudar os australianos que trabalham na região.