A Austrália está a desenvolver um programa inovador que utiliza drones para detetar e sinalizar tubarões que se encontrem perto das praias. A ideia surgiu na sequência de vários ataques que aconteceram este ano no país, um dos quais foi fatal. O objetivo é proteger banhistas e surfistas que frequentam as praias do país.

A tecnologia já está a ser testada pelos salva vidas das praias do Estado de Nova Gales do Sul. Assim que um drone sinalize um tubarão, lança uma espécie de anzol inteligente que marca o animal. De seguida, as coordenadas GPS fornecidas pelo anzol são enviadas em tempo real para dois centros de vigilância localizados no extremo norte do Estado.  

“O anzol está equipado com tecnologia que, assim que haja contacto com o tubarão, envia uma mensagem para os vigilantes que acompanharão a situação de imediato (…) Depois de marcados, os tubarões são libertados”, afirmou Niall Blair, ministro do governo estadual.


A nova medida surge como uma evolução em relação ao catch and kill, uma prática controversa que passava por matar os tubarões. Niall Blair assume o “compromisso de utilizar a melhor tecnologia disponível, ao mesmo tempo que procura uma solução eficaz a longo prazo para manter as praias seguras”, contudo, admite que não é fácil reduzir os riscos para banhistas e surfistas.
 
Um surfista japonês morreu em fevereiro, depois de ter sido mordido nas pernas por um tubarão. Também se registaram outros 12 ataques graves, este ano, ao longo da costa do Estado.