Um menino australiano, com sete anos, que morreu com um coágulo no cérebro, tornou-se o dador de órgãos mais novo de sempre na Índia, depois dos pais terem doado o seu coração, rins e fígado, que ajudaram a salvar quatro pessoas.

Foi a criança, Deyaan Udani, quem tinha expressado a vontade de doar os seus órgãos, depois de ter aprendido na escola sobre essa possibilidade. Após a sua morte, os pais decidiram cumpri-la e salvaram uma menina sete de anos (coração), dois rapazes com 11 e 15 (rins) e um homem de 31 (fígado).

Udani estava com os pais a passar férias em Mumbai, na Índia, e antes do voo de regresso para Sidnei, Austrália, a 22 de janeiro, começou a queixar-se de fortes dores de cabeça. Foi levado para o hospital de Hinduja, onde lhe foi diagnosticado o coágulo sanguíneo. Acabaria por morrer no sábado seguinte.

“Recentemente, Deyann e a sua irmã aprenderam sobre o que é ser doador de órgãos na escola, e sobre a possibilidade de se registar como tal, quando se tem carta de condução. As crianças chegaram a casa e perguntaram-nos se estavam na lista de doadores. Na altura, o Deyann disse que quando crescesse, queria ser doador”, contou a mãe, Mili Udani ao Mumbai Mirror.