Mais de 400 pessoas enfiaram as cabeças na areia, numa praia na Austrália, como forma de protesto contra a postura do país sobre as alterações climáticas. A criativa demonstração, realizada na quinta-feira, foi motivada por uma declaração feita pelo primeiro-ministro australiano em relação ao clima, descartando-o como tema importante na cimeira do G20.
 
Os manifestantes disseram à agência Reuters que estavam com raiva da relutância do primeiro-ministro, Tony Abbott, para adicionar o tema do clima à agenda da reunião dos G20, que irá ocorrer no fim de semana.
 
O primeiro-ministro afirmou que «o emprego e o crescimento» devem ser o foco da cimeira do G20, e não «o que pode acontecer no daqui a 16 anos» como resultado do aquecimento global.


 
As pessoas cavaram buracos em Bondi Beach e colocaram as cabeças dentro deles, numa tentativa de mostrar aos líderes mundiais que não concordam com Abbott.
 
«Obama está a bordo, Xi Jinping a bordo, todos estão a bordo, exceto um homem», gritou Pat Norman, um ativista de 28 anos, num megafone na praia de Sydney. «Tony Abbott!», gritaram os manifestantes de volta.
 
Abbott, em 2009, chamou a ciência das mudanças climáticas de «porcaria» e disse que o carvão era «bom para a humanidade». A Austrália revogou um imposto sobre as emissões de gases de efeito estufa, em julho, tornando-se no único país a reverter a ação sobre as alterações climáticas.