Cerca de 25 delegados que participaram no final de julho numa conferência sobre SIDA na cidade australiana de Melbourne receiam voltar aos seus países e procuram asilo na Austrália, revelaram esta segunda-feira agências de refugiados e assistência social.

A «HomeGround Services» que se dedica a encontrar alojamento de emergência a sem abrigo em Melbourne revelou que 14 delegados de países africanos, incluindo o Uganda e a Tanzânia, procuraram ajuda na organização.

Cathy Beadnell, porta-voz da organização explicou à agência AFP que 14 pessoas procuraram ajuda até porque não possuem nenhum local para ficaram nesta altura.

Outra organização de apoio a quem procura asilo na Austrália referiu que cerca de 25 pessoas que participaram na conferência procurou ajuda para perceber como poderia ficar no país depois dos seus vistos expirarem.

O estigma relacionado com a SIDA é ainda preocupante em alguns países africanos como o Uganda onde a homossexualidade é ilegal e punida com penas de prisão como foi várias vezes referido e exemplificado na conferência.