O Greyhound Racing NSW, órgão regulador das corridas de galgos do estado australiano de Nova Gales do Sul, acusou 179 treinadores e donos de cães de violarem as regras da indústria ao alegadamente enviarem, sem autorização, animais para a Macau.

Segundo a emissora pública australiana, ABC, as acusações surgem no âmbito de uma investigação, lançada pelo órgão regulador estadual em dezembro, a exportações de galgos para Macau.

A investigação foi motivada após a divulgação de um trabalho do programa televisivo “7.30”, que revelou como centenas de galgos australianos, considerados demasiados lentos para competir, foram exportados para a Ásia, violando as regras das corridas.

Em declarações ao programa, a presidente da associação Animals Australia, Lyn White, alertou que as condições dos galgos em Macau são "repugnantes" e que a ida para Macau representa "para esses cães uma pena de morte".

A exportação de galgos para Macau foi banida, pelo regulador do estado de Nova Gales do Sul, em 2013. Se os acusados forem considerados culpados, enfrentam multas, suspensão e possível desqualificação da modalidade desportiva.