O Presidente da Birmânia juntou-se ao chefe do exército felicitando Aung San Suu Kyi pela vitória nas históricas eleições de domingo, prometendo uma transição suave do poder.

Num comunicado, publicado na quarta-feira no site da presidência, Thein Sein congratula Aung San Suu Kyi por “ganhar a aprovação do povo”, juntando-se ao chefe do exército, o general Min Aung Hlaing, que já felicitou a líder da oposição pela conquista da maioria dos assentos nas legislativas.

“Como governo, vamos respeitar e obedecer aos resultados eleitorais e transferir o poder pacificamente”, garantiu o chefe de Estado.

A líder da oposição birmanesa, P rémio Nobel da Paz em 1991, e que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, apelou na quarta-feira, 11 de Novembro, a conversações com o chefe do exército, com o presidente e com o líder do Parlamento, numa carta endereçada aos três homens-chave, tornada pública pelo partido que dirige, convidando-os a discutir a reconciliação na próxima semana.

A contagem dos votos prossegue, mas a LND, de Suu Kyi, conquistou já 256 assentos no Parlamento, estando a pouco mais de 70 da maioria absoluta, de acordo com os mais recentes dados da comissão eleitoral.

Uma vez confirmados os resultados prevê-se que em Janeiro tome posse o novo Parlamento, o qual vai eleger, entre Fevereiro e Março, o novo Presidente e dois vice-presidentes.