logotipo tvi24

Birmânia: Aung San Suu Kyi vai prestar juramento

Ban Ki-moon apela ao Ocidente para «ir mais longe» no levantamento das sanções

Por: tvi24 / CP    |   2012-04-30 08:07

A líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, anunciou esta segunda-feira que vai prestar juramento no Parlamento para assumir o lugar de deputada para o qual foi eleita este mês, depois de ter boicotado a sessão inaugural da câmara.

A Nobel da Paz disse aos jornalistas, na sede do seu partido, a Liga Nacional para a Democracia, em Rangum, que vai prestar juramento em linha com «o desejo do povo» e que irá, com os restantes membros do seu partido eleitos, deslocar-se ao Parlamento, pela primeira vez, na quarta-feira, sem especificar como foi resolvido o braço de ferro com o Governo.

Suu Kyi e os outros 36 membros do seu partido eleitos boicotaram a sessão inaugural do Parlamento birmanês por discordarem do juramento que os obriga a «salvaguardar» a Constituição, promulgada em 2010 e redigida pela junta militar, já dissolvida, e pediram, sem sucesso, que as palavras fossem alteradas para «respeito» à Constituição.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, apelou também esta segunda-feira ao Ocidente para «ir mais longe» no levantamento das sanções políticas e económicas contra a Birmânia, durante um discurso proferido no Parlamento birmanês.

«Congratulo-me com as medidas adotadas até agora pela comunidade internacional, mas é preciso fazer mais. Hoje apelo à comunidade internacional para ir mais longe no levantamento, suspensão ou alívio das restrições comerciais e outras sanções», declarou Ban Ki-moon, no Parlamento birmanês em Naypyidaw, quando cumpre a sua primeira visita oficial ao país.

Partilhar
EM BAIXO: Aung San Suu Kyi
Aung San Suu Kyi

Jovem turista morre esmagado por cruz de João Paulo II
Acidente em Brescia, Itália, ocorre 24 horas antes da canonização do Papa polaco, em Roma
Foto com baleia de 16 metros nos Açores é notícia
Mergulhador alemão ficou frente a frente com baleia e a imagem já corre a imprensa internacional
Suspeito de morte de adolescente detido 21 anos depois
Inglesa Johanna Young, de 14 anos, morreu por afogamento em 1992, pouco depois de ter desaparecido de casa antes do Natal
EM MANCHETE
Miró: MP trava saída de quadros
Tribunal Administrativo de Lisboa aceitou a terceira providência cautelar interposta pelo Ministério Público e travou o leilão que estava marcado para junho.
Fenprof leva vinculação docente ao fim de cinco anos ao Constitucional
Reforma permanente das pensões deve avançar