O príncipe William fez história ao aceitar ser o primeiro membro da família real britânica ao aparecer na capa da revista gay Attitude. Dias depois do ataque em Orlando, o duque de Cambridge surge na capa da publicação e afirma ao mundo que "ninguém deve ser atacado por causa da sua sexualidade".

De acordo com a publicação, William convidou a revista e membros da comunidade LGBT+ para uma conversa, no Palácio de Kensington, sobre as experiências de bullying e os efeitos que este tipo de violência pode ter na saúde mental.

Após a conversa, o duque de Cambridge foi fotografado por Leigh Kelly e falou com a publicação sobre a conversa que teve com os membros da comunidade LGBT+.

Ninguém deve ser atacado por causa da sua sexualidade ou qualquer outra razão e ninguém devia de sofrer o tipo de ódio que estes jovens têm sofrido ao longo das suas vidas. Os jovens que conheci graças à Attitude são verdadeiramente corajosos para falar e dar esperança às pessoas que estão a passar por situações de bullying neste momento", afirmou o príncipe.

O duque de Cambridge aconselhou ainda "qualquer pessoa que esteja a ser intimidado por causa da sua sexualidade" a que "fale com um adulto, um amigo, um professor (...) ou com qualquer outro serviço que o possa ajudar".

Devem estar orgulhosos de quem são e não têm de se envergonhar de nada".

Após a capa ser divulgada, um porta-voz do Palácio de Kensington lembrou que William, a mulher, Kate Middleton, e o irmão, o príncipe Harry, "dão a cara pela campanha Heads Together sobre a saúde mental e o bem-estar ".