Um pescador de lagostas, da ilha de Campobello, em Nova Brunswick, no Canadá, morreu na segunda-feira, após ser atingido por uma baleia, que instantes antes tinha ajudado a salvar. No início da semana, Joe Howlett partiu numa embarcação para ajudar a salvar uma baleia-franca-do-atlântico-norte, que estava emaranhada numa rede. Pouco depois de ter cortado o último pedaço de corda, para conseguir libertar a baleia, o pescador foi atingido pelo animal.

Eles conseguiram libertar a baleia totalmente e, de seguida, aconteceu algo fora do vulgar e a baleia fez um movimento que atingiu Howlett”, contou Mackie Green, da Equipa de Resgate de Baleias de Campobello, citado pelo The Guardian.

Dias antes de morrer, o pescador de lagostas tinha ajudado a libertar uma outra baleia. Nos últimos 15 anos, terá salvado mais de 20 animais, que ficaram encurralados em redes de pesca, fazendo uso do seu grande conhecimento sobre nós e cordas.

Joe definitivamente não quer que nós paremos por causa disto. Isto é algo que ele adorava e não há melhor sensação do que libertar uma baleia. Eu sei o quão bem ele se sentiu após libertar aquela baleia”, acrescentou Mackie Green.

Na terça-feira, o departamento federal com a tutela das pescas confirmou a morte do pescador, que descreveu como “um membro insubstituível da comunidade de resgate de baleias”.

Só no mês passado, sete baleias foram encontradas mortas no Atlântico Norte. Cientistas e biólogos estão, agora, a tentar descobrir qual a razão para a morte em larga escala das baleias-francas-do-atlântico-norte. Esta espécie vive ao longo da costa leste do Canadá e dos Estados Unidos e pode atingir os 16 metros de comprimento.

Apesar das investigações ainda estarem no início, foram encontrados sinais de graves traumatismos e hematomas em duas das baleias, o que indica que podem ter chocado contra embarcações.