As redes sociais foram palco de milhões de mensagens de solidariedade para com as vítimas dos ataques terroristas desta manhã, em Bruxelas. O repúdio veio de vários pontos do mundo em forma de comentários, imagens.

As hastags #bruxelles, #brussels, #prayforbrussels, #jesuisbruxelles, #attentatbruxelles encheram o Twitter, que completou  segunda-feira dez anos, e testemunha agora mais um ataque terrorista no coração da Europa.

A solidariedade belga não se fez esperar. Aqueles que pudessem acomodar alguém que precisasse de abrigo em Bruxelas foram convidados a utilizar a hastag #OpenHouse

A figura de “Manneken Pis”, um monumento do do século XVII, no centro de Bruxelas, que representa um rapaz a urinar, tem sido utilizado em inúmeras imagens que respondem aos ataques.

As cores da bandeira belga encheram as redes sociais. À semelhança do que aconteceu aquando dos ataques de Paris, a 13 de novembro, multiplicam-se as ilustrações sobre os ataques.

Um artista de banda desenhada francês, Joann Sfar, partilhou no Instagram várias ilustrações sobre os atentados.

 

Mon coeur est à Bruxelles

A photo posted by Joann Sfar (@joannsfar) on

 

 

Une voie possible?

A photo posted by Joann Sfar (@joannsfar) on

Na capital belga, populares reagem aos ataques: “Vocês não terão o nosso ódio”, escrevem a giz nas ruas de Bruxelas.

Na conta do Twitter da República Portuguesa, foi partilhado o momento em que António Costa assinou, na Madeira, o livro de Condolências pelos atentados.

Foi também através do Twitter que vários líderes mundiais expressaram solidariedade para com os belgas ao longo desta quinta-feira. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, e dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, reagiram aos acontecimentos desta manhã em Bruxelas. Também Obama, através da conta de Twitter da Casa Branca, publicou uma mensagem na qual diz que fará "tudo o que for necessário para apoiar a Bélgica".

No Facebook, foi ativada a ferramenta “Safety Check”, disponibilizada também na altura dos ataques de Paris, que permite aos utilizadores que se encontrem nos locais afetados informar os contactos de que estão em segurança.