A polícia belga divulgou esta segunda-feira um novo vídeo que mostra o terceiro homem envolvido nos ataques terroristas de terça-feira no aeroporto de Bruxelas, ao lado dos bombistas suicidas Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui.

Entretanto, as autoridades belgas libertaram o jornalista Fayçal Cheffou, que tinha sido apontado pela imprensa como o terceiro terrorista do aeroporto, o homem com o chapéu.

A divulgação das imagens do homem, que transportaria uma bomba que não explodiu, aconteceu através da conta de Twitter da polícia federal, com a indicação sobre a necessidade de o identificar.

Trata-se de um homem que veste casaco branco e usa um chapéu, enquanto empurra um carrinho de bagagens no aeroporto de Zaventem, antes das duas explosões de dia 22 de março.

A confirmação de que o suspeito ainda não foi identificado desmente as informações divulgadas pelos media belgas durante o fim de semana que davam como certo que o suspeito fosse Faycal Cheffou, um jornalista freelancer.

Cheffou teria sido reconhecido pelo taxista que transportou os homens ao aeroporto naquela terça-feira, a confirmação estaria pendente de análises de ADN, de acordo com a RTBF. As autoridades também realizaram buscas à casa de Faycal Cheffou, mas não foram encontrados explosivos. 

Os atentados de 22 de março em Bruxelas causaram pelo menos 35 mortos, segundo um novo balanço anunciado esta segunda-feira pela ministra da Saúde Maggie De Block.

O balanço anterior dava conta de 31 mortos, 28 vítimas e os três terroristas que se fizeram explodir no aeroporto de Bruxelas e na estação de metro de Maelbeek.