Os procuradores do Ministério Público de Estugarda, Alemanha, confirmaram ter detido um alemão, de 34 anos, suspeito da venda online de armas, avança a Reuters. No entanto, recusam-se a comentar a suposta ligação de que terão fornecido as armas aos militantes de Paris.

"Posso confirmar que um homem está em custódia por suspeita de tráfico de armas", afirmou o porta-voz da procuradoria, acrescentando que o suspeito, domiciliado em Bade-Wurtemberg (sudoeste).

Por sua vez, o jornal Bild dá conta que o homem é suspeito de ter vendido online, no dia 7 de novembro, quatro armas - duas AK-47 feitas na China e duas Zastava M70 feitas na Jugoslávia - a um "descendente árabe". Armas que os procuradores acreditam ter sido usadas nos atentados de Paris.

Segundo o jornal, os investigadores franceses “partiram do princípio que essas armas terão sido alegadamente usadas nos atentados de Paris”, de 13 de novembro.

O presumível traficante de armas, residente em Magstadt (sudoeste), identificado como Sascha W., de 34 anos, detido pela polícia alemã no dia 16 de novembro, é suspeito de venda de armas e munições na chamada “Darknet”.

Emails no seu smartphone mostram que vendeu “quatro ‘kalachnikovs’ a um árabe em Paris”, escreve ainda o Bild, indicando que foram apreendidas 16 armas durante rusgas a sua casa.