O Ministério Público belga anunciou, esta quarta-feira, que a polícia encontrou impressões digitais do único terrorista vivo dos atentados de Paris, Salah Abdeslam, num apartamento do bairro de Schaerbeek, em Bruxelas, onde este pode ter estado escondido após os ataques.

"Encontrámos uma impressão digital, mas não sabemos quando foi deixada. Uma impressão não tem data. Talvez tennha ido [àquele apartamento] para buscar o cinto [de explosivos] antes dos ataques, talvez tenha voltado depois. Ambas as possibilidades são possíveis", disse o porta-voz do Ministério Público, Eric Van Der Sypt à AFP.

Segundo avançou a agência Reuters, a polícia revistou o apartamento, arrendado sob uma identidade falsa, no dia 10 de dezembro, e a pessoa que o alugou pode já ter sido presa.

No interior, as autoridades encontraram vestígios de explosivos e três coletes-bomba artesanais.

As revelações do Ministério Público dão força às suspeitas que os atentados de 13 de novembro foram, pelo menos parcialmente, planeados na Bélgica. As autoridades colocam também a hipótese das bombas usadas nos atentados terem sido preparadas neste apartamento.