Salah Abdeslam terá estado em contacto com amigos, através do Skype. De acordo com a ABC News, o alegado terrorista disse aos amigos que estava escondido nos arredores de Bruxelas e pediu-lhes ajuda para viajar para Síria.
 
Os amigos, que falaram à ABC sob anonimato, dizem que Salah Abdeslam lhes ligou na terça-feira à noite. Ter-lhes-á dito que estava “encurralado” entre as buscas da polícia e os elementos do Estado Islâmico locais, que o “estavam atrás dele”, aparentemente descontentes por não se ter feito explodir nos atentados de Paris.
 
Ainda de acordo com a ABC, Abdeslam reclamou ter tido um “papel menor” nos atentados de Paris, mas os seus amigos não acreditam na sua inocência.
 
O irmão de Salah acredita que ele foi “manipulado” pelo cérebro dos atentados, Abdelhamid Abaaoud. De acordo com a ABC, que cita o advogado da família Abaaoud, ele e Abdeslam seriam amigos de infância e foram apanhados em 2010, na sequência de um assalto.
 
Hamza Attou, um dos dois suspeitos detidos esta semana pela polícia belga por ter, alegadamente, ajudado Salah a regressar à Bélgica depois dos ataques, disse que o suspeito em fuga lhe pareceu muito agitado no carro, mal falou com eles durante a viagem e usava um casaco largo, que poderia esconder um cinto de explosivos.