As autoridades turcas afirmam que um dos autores do atentado que matou 37 pessoas em Ancara é uma mulher, membro do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). A informação surge numa altura em que se sabe que a Turquia bombardeou posições curdas no norte no Iraque, em resposta ao ataque deste domingo

Os indícios recolhidos pelas forças de segurança apontam para que um dos autores do atentado seja uma mulher, nascida em 1992 e natural da cidade de Kars. Segundo as autoridades, a jovem juntou-se aos curdos do PKK em 2013. 

Ancara já respondeu ao atentado de domingo. Esta segunda-feira, 11 aviões turcos bombardearam posições do PKK no norte do Iraque. Uma notícia que foi confirmada pela agência Reuters junto do próprio exército turco.

Estes ataques aéreos visaram a zona de Kandil, onde estão entrincheirados os chefes rebeldes do PKK.

No domingo, as autoridades turcas confirmaram que se tinha tratado de um ataque suicida, frisando que os primeiros indícios sugeriam que o PKK, ou um grupo afiliado, estaria por detrás do atentado.

Uma forte explosão ocorreu às 18:45 de domingo (16:35 em Lisboa) na Praça de Kizilay, situada em pleno centro de Ancara, junto a uma esquadra de polícia e a uma paragem de autocarro. 

Pelo menos 37 pessoas morreram e mais de uma centena ficaram feridas.

O ministro da saúde turco, Mehmet Muezzinoglu, disse esta segunda-feira que há ainda 71 pessoas internadas, sendo que 15 estão em estado crítico. Entre as 37 vítimas mortais estará um dos autores do atentado.

“Perdemos três dos nossos cidadãos no hospital. Até este momento, 37 pessoas morreram neste ataque terrorista”, declarou o ministro da Saúde turco, Mehmet Müezzinoglu, aos jornalistas, indicando que entre as vítimas estará um autor do atentado.

Até ao momento, nenhum grupo terrorista reivindicou o atentado.