Yohlaine estava no Promenade des Anglais, em Nice, esta quinta-feira à noite, quando um camião irrompeu pelo meio da multidão, levantando as pessoas no ar como se fossem pinos de bowling. No meio do caos e do pânico, Yohlaine perdeu o filho de oito meses.

Desesperada, lançou um apelo no Facebook. Fazia a descrição do bebé e do que tinha vestido. “Amigos de Nice, se o viram, se estavam lá, se o levaram, por favor, contactem-me!!!!”, escreveu.

No post, tinha um número de telemóvel, que tocou pouco depois para a boa notícia: o seu filho tinha sido encontrado.

Horas depois, colocava outro post no Facebook para agradecer às mais de 21 mil pessoas que tinham partilhado o apelo e para manifestar a alegria do reencontro.

O atentado desta quinta-feira em Nice fez pelo menos 84 mortos e mais de 100 feridos. Um camião atropelou, durante mais de dois quilómetros uma multidão que estava reunida na marginal de Nice para assistir aos fogos de artifício do 14 de Julho. O ataque não foi ainda reivindicado, mas as autoridades já atribuem a sua autoria ao Estado Islâmico. Sites ligados ao movimento terrorista comemoraram o resultado do massacre, pouco tempo depois de ter acontecido e enquanto ainda se procedia às operações de socorro.