A Europol, serviço europeu de polícia, afirmou esta quarta-feira não haver qualquer prova de que o atacante de Nice, em França, seja um membro do grupo extremista do Estado Islâmico e que não há prova de envolvimento do Estado Islâmico noutros recentes atentados.

Numa nota divulgada esta quarta-feira sobre os quatro ataques terroristas perpetrados no espaço de um mês (Orlando, nos EUA, Magnanville e Nice, em França e Würzburg, Alemanha), a Europol sublinhou as “dificuldades operacionais em detetar e desmantelar ataques de atores solitários” e que “apesar de o Estado Islâmico ter reivindicado os últimos ataques, nenhum dos quatro parece ter sido planeado, com apoio logístico, ou diretamente executado pelo Estado Islâmico”.

De acordo coma Europol, que divulgou o relatório anual sobre terrorismo na União Europeia (UE), existem indícios que os atacantes de Orlando, Magnanville e Würzburg sejam apoiantes dos radicais, mas o “seu envolvimento real com o grupo não pode ser estabelecido”.

Eventos de verão como "Champs-Elysées sem carros" anulados

Alguns eventos que “não apresentam garantias de segurança satisfatórias” em Paris vão ser anulados, como os Campos Elísios sem trânsito, a 7 de agosto, o cinema ao ar livre e um torneio de basquetebol, anunciou hoje a polícia.

Depois do atentado de Nice, “os dispositivos de segurança dos diferentes eventos foram objeto de uma análise atenta”, informou a polícia num comunicado, como cancelamentos ou segurança reforçada, dependendo dos eventos.

A proibição da circulação automóvel um dia por mês nos Campos Elísios - uma avenida onde passam uma média de 300 mil visitantes por dia, incluindo muitos turistas – foi decidida em maio pela câmara socialista de Paris.