A capa mais recente do Charlie Hebdo voltou a colocar o jornal satírico envolto em polémica. Em destaque está uma ilustração que parece fazer referência ao atentado terrorista de Barcelona, nas Ramblas, que vitimou 13 pessoas.

A imagem mostra uma carrinha branca ao longe, em fuga, e duas vítimas atropeladas caídas no chão, numa poça de sangue. O desenho é acompanhado da mensagem “Islão, religião de paz… eterna”, escrita a vermelho.

Muitas foram as críticas que surgiram, nomeadamente através das redes sociais, acusando o jornal de “islamofobismo” e “racismo”.

Eu tenho o direito de pensar que o Charlie Hebdo é um jornal de idiotas", escreveu um utilizador do Twitter.

 

Stéphane Le Foll, ex-ministro socialista e ex-porta-voz do governo do anterior presidente francês, François Hollande, também se mostrou contra a ilustração.

As confusões são muito perigosas. Dizer que o Islão é uma religião de paz, dando a entender, no entanto, que é uma religião de morte, é extremamente perigoso”, disse Stéphane Foll, numa entrevista à BFMTV.

Por outro lado, há também quem elogie o jornal pela coragem e ache a capa escolhida “genial”.

A chave é o fundo da capa (a frase). Esta é particularmente bem sucedida. Bravo", aplaudiu uma utilizadora do Twitter.

 

 

No editorial, os responsáveis pelo jornal satírico criticam o facto de cada vez se falar menos no Islão em relação aos atentados cometidos em seu nome.

Hoje ninguém se interroga sobre o papel do Islão na ideologia do Daesh”, pode ler-se no texto.

Recorde-se que a redação do Charlie Hebdo foi alvo de um ataque terrorista, em janeiro de 2015, em Paris, que causou a morte de 12 pessoas.