ataque terrorista ao jornal satírico «Charlie Hebdo»

Numa declaração ao país, a partir da Place Beauvau, onde se situa a sede do Ministério do Interior, Bernard Cazeneuve sublinhou que «o país atravessa momentos de excecional gravidade».


O ministro francês do Interior reforçou que, até ao momento, não há indícios de ligação entre o ataque de quarta-feira e o desta quinta-feira de manhã, que resultou na morte de uma polícia e em ferimentos num outro agente.

Mas o ministro defendeu que os dois episódios que «atacaram a liberdade de imprensa e as forças policiais devem suscitar uma condenação geral e uma reação de extrema firmeza».


condenou ainda a profanação de lugares de culto muçulmano

«Não toleraremos nenhum ato, nenhuma ameaça contra um lugar de culto. Os autores desses atos deverão saber que serão procurados, travados e punidos», avisou.




aviso de alerta para atentado na região de Picardie