Até agora sabia-se que o atentado em Nice tinha ferido um português, mas esta terça-feira as autoridades portuguesas foram informadas da existência de mais três feridos lusos.

Além do emigrante que continua hospitalizado, também um pai, uma mãe e o filho de três anos sofreram ferimentos ligeiros na noite de quinta-feira.

No momento do pânico, quando o camião avançou sobre a multidão, os pais e a criança, que estavam a ver o fogo-de-artifício dos festejos da tomada da Bastilha na marginal de Nice, saltaram para o areal da praia. Foi nesse momento que a família de emigrantes sofreu algumas escoriações.

Os emigrantes portugueses, pai e mãe, com 34 anos, e uma criança, de 3 anos, vivem nos arredores de Nice, e foram, pelos próprios meios, no dia seguinte ao atentado terrorista a uma clínica. Fonte da Secretaria de Estado das Comunidades confirmou à TVI que a família já se encontra bem.

Têm pequenas escoriações e só foram à clínica no dia seguinte (sexta-feira). Estão todos bem e foram considerados feridos oficiais”, acrescentou a fonte.

O outro emigrante português também atingido no atentado, que provocou 84 mortos, continua hospitalizado, mas está fora de perigo.

Na quinta-feira, um homem, identificado como Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, atropelou durante dois quilómetros pessoas que se encontravam na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses) em Nice, enquanto assistiam a um fogo-de-artifício para assinalar o dia de França. O homem foi morto pela polícia.