Pelo menos 34 pessoas morreram num ataque de rebeldes sírios contra a sede dos serviços secretos do país, em Aleppo, poucos dias depois de a oposição rejeitar um plano de cessar-fogo proposto pela ONU.

Pelo menos 20 membros das forças de segurança do regime e 14 rebeldes morreram na quarta-feira, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

O ataque aconteceu numa altura em que o Presidente Bashar al-Assad insiste que continua a ter o apoio do povo sírio, apesar de quase quatro anos de guerra e pressão internacional contra o seu regime.

«O objetivo era atacar o edifício e controlá-lo, mas falharam», disse à AFP Rami Abdel Rahman, diretor na ONG.

Seis civis perderam também a vida noutro ataque dos rebeldes contra as forças do regime, indicou Rami.