Pelo menos 100 pessoas, incluindo 80 civis, morreram, esta terça-feira, em atentados com carros armadilhado, num bairro de Homs, na Síria. De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, uma Organização Não Governamental (ONG), os ataques já foram reivindicados pelos jihadistas.

É o balanço mais grave de atentados em Homs, a terceira maior cidade do país, desde o início da guerra há três anos. Os ataques acontecem a menos de um mês das eleições presidenciais organizadas pelo regime.

Entre os mortos, avança o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, estão pelo menos 80 civis.

Os jihadistas afirmam ter detonado o primeiro carro-bomba, «para provocar a maior quantidade de mortos entre os shabiha (milicianos pró-regime)» no bairro de Al Abasiya. Fizeram depois explodir um segundo carro na mesma zona.