Nenhum comboio vai este sábado circular no metro de Bruxelas, após a decisão do Centro de Crises belga, esta madrugada, de elevar para o nível máximo o alerta terrorista no país, perante a “ameaça iminente” de atentados.

A empresa de transportes públicos de Bruxelas STIB anunciou hoje a suspensão da circulação das linhas de metro, mas não as de autocarro e explicou que a situação será avaliada diariamente.

O Centro de Crises belga tinha aconselhado o Governo da região de Bruxelas a interromper a circulação do metro no fim de semana.
 
Bruxelas elevou, este sábado, o nível de alerta terrorista para o máximo. As autoridades belgas aconselham os populares a evitar multidões, por causa de uma “séria e iminente” ameaça de ataque terrorista.
 
O nível de alerta quatro foi decretado depois de uma reunião entre o Governo, a polícia e os serviços de segurança. As estações de metro estarão encerradas e eventos como jogos de futebol serão cancelados.
 

“O conselho à população é que evite locais onde se concentrem grandes multidões, como centros comerciais, concertos, eventos ou estações de transportes públicos”, disse um porta-voz do gabinete de crise, criado pelo governo.

 
O nível de alerta terrorista foi revisto em Bruxelas uma semana depois dos atentados de Paris. Bruxelas tem estado no centro das investigações aos ataques em França, depois de se saber que pelo menos dois dos terroristas tinham vivido no país e de se suspeitar que os atentados ou parte deles podem ter sido planeados em território belga. Três suspeitos detidos em Bruxelas enfrentam acusações de terrorismo.
 
O irmão de um dos bombistas de Paris, que também viveu em Bruxelas, ainda está em fuga. Salah Abdeslam terá chegado a ser detido, pela polícia francesa, junto à fronteira com a Bélgica, no último sábado de manhã, mas acabou por ser libertado. Alguns órgãos de informação belgas especulam agora que a elevação do nível de alerta no país estará relacionado com as buscas por este suspeito.

Autoridades divulgam imagem Salah Abdeslam disfarçado

 
A última vez que a Bélgica esteve no nível de alerta máximo de terrorismo foi em maio de 2014, depois de um homem armado ter abatido quatro pessoas no Museu Judaico de Bruxelas. O nível quatro foi então decretado, na altura, em sinagogas, escolas judaicas e outras instituições ligadas ao judaísmo.