Salah Abdeslam, que se pensa ser o único autor vivo dos atentados de novembro do ano passado em Paris, entrou esta quinta-feira num tribunal da capital francesa para ser ouvido por juízes, e voltou a permanecer em silêncio.

O suspeito saiu da sua cela em Fleury-Mérogis (sul de Paris) às primeiras horas da manhã, sob vigilância máxima, e chegou ao tribunal às 07:30 locais (06:30 em Lisboa), segundo a mesma fonte, citada pela agência AFP.

A audiência durou cerca de uma hora e trinta minutos, mas Abdeslam "exerceu o seu direito ao silêncio", conforme afirmou aos jornalistas o advogado Frank Berton.

Abdeslam, de 26 anos, foi detido18 de março, no bairro de Molenbeek, depois de quatro meses em fuga. Desde que foi transferido da Bélgica para França, a 27 de abril, já por duas vezes se recusou a responder aos juízes.

Um vídeo do jornal francês Le Fígaro documenta o aparato na chegada do suspeito a Paris, inclusivé com um helicóptero que seguiu o percurso. 

Os ataques terroristas de 13 de novembro em Paris, que tiveram lugar no Bataclan, no estádio nacional, na avenida da República e em restaurantes e esplanadas, provocaram ao todo 130 mortos.