O mentor dos atentados de Paris, Abdelhamid Abaaoud, "foi morto na operação policial de Saint-Denis", na quarta-feira, confirmou a Procuradoria de Paris.
 
De acordo com o comunicado divulgado nesta quinta-feira pelo gabinete de François Molins, o corpo de Abdelhamid Abaaoud "estava no imóvel" de Saint-Denis e foi "identificado através de impressões digitais".

Depois do mistério à volta do terrorista morto na operação policial no norte de Paris, que durou sete horas, chegou hoje a confirmação oficial da morte do homem que é considerado o "cérebro" dos ataques que vitimaram 129 pessoas e deixaram mais de três centenas de feridos.

Em conferência de imprensa, o procurador de Paris admitiu que, pelo menos, duas pessoas tinham morrido na operação e outras oito foram detidas. François Molins adiantou, também, que  Abdelhamid Abaaoud não se encontrava entre os detidos.

Inicialmente, as autoridades pensavam que Abdelhamid Abaaoud estaria na Síria, mas a investigação confirmou que estava em França, concretamente num apartamento em Saint-Denis, no norte de Paris, onde a polícia acredita que estariam a ser preparados novos ataques.

A agência Associated Press, que cita fonte policial, acrescenta que o segundo corpo encontrado no apartamento pertence à suposta prima de Abdelhamid Abaaoud, que se fez explodir após uma troca de palavras com a polícia.


O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, disse, esta quinta-feira, que Abdelhamid Abaaoud está implicado em quatro atentados “evitados ou frustrados”, de cerca de seis detetados desde a última primavera. 
  
Em conferência de imprensa, Bernard Cazeneuve confirmou o “papel determinante”de Abaaoud nos atentados de Paris. 

Entretanto, esta quinta-feira, as autoridades belgas fizeram nove rusgas e nove detenções, no âmbito de uma operação policial relacionada com os atentados de Paris, avança a AP, que cita um oficial belga.