A banda californiana que estava a tocar no teatro Bataclan, em Paris, na noite de 13 de novembro sobreviveu ao massacre durante o seu espetáculo, mas outras pessoas que se esconderam nos camarins não tiveram a mesma sorte, disse o vocalista do grupo em entrevista ao canal de notícias Vice.
 
Jesse Hughes, da banda Eagles of Death Metal, concedeu a entrevista, a primeira após os atentados, que será publicada na íntegra na próxima semana. Para já existe um excerto dessa conversa.
 

“Várias pessoas esconderam-se no camarim e os terroristas conseguiram entrar e matar todas as pessoas, exceto um miúdo que estava escondido debaixo do meu casaco de pele”, disse Hughes, com o seu colega de banda, Josh Homme, ao seu lado.

 

Visivelmente emocionado, Hughes prosseguiu: “As pessoas fingiram-se de mortas e estavam muito assustadas. Uma das razões para que tenha morrido tanta gente foi porque muitos não quiseram abandonar os seus amigos. Muitas pessoas colocaram-se à frente de outras”.

 
Entre as vítimas mortais do Bataclan estão o responsável de marketing do grupo, Nick Alexander e três outros colegas da banda: Thomas Ayad, Marie Mosser e manu Perez.