Afinal, o computador de Ibrahim El Bakraoui, um dos terroristas do aeroporto de Bruxelas, escondia mais do que um testamento revelador. O portátil encontrado pelas autoridades num contentor de lixo no bairro de Schaerbeek, continha a planta do gabinete e da residência do Primeiro-ministro belga Charles Michel e fotografias do imóvel visto da rua, localizado no número 16 da Rue de la Loi, em Bruxelas.

A notícia é avançada esta quarta-feira por vários meios de comunicação belgas.

Estes novos dados levam a crer que o Chefe de Governo seria o alvo dos atentados da última semana na capital belga.

O FBI deverá auxiliar as autoridades belgas a analisar o equipamento e os discos rígidos apreendidos.

O gabinete do primeiro-ministro belga fica na mesma rua que a estação de Maelbeek, onde se fez explodir Khalid el Bakraouni, irmão de Ibrahim. Segundo a imprensa belga, a segurança será reforçada no gabinete e na residência de Charles Michel.

Os atentados no metro e no aeroporto a 22 de Março fizeram no total 35 mortos, incluindo os três suspeitos dos ataques.

Tudo indica que se trate do mesmo onde foi encontrado o testamento de Ibrahim El Bakraoui. No documento, o jihadista revelava estar sobre pressão, não saber o que fazer e ainda ter medo de “acabar numa cela”, como Salah Abdeslam.